Tapwear
amparense
TERRAKASA IMOBILIÁRIA
Peça recuperada

Imagem de Santo Onofre é devolvida à Diocese de Oliveira após 25 anos

Imagem foi furtada do Museu da Diocese em 24 de julho de 1994.

26/08/2019 06h15Atualizado há 3 semanas
Por: Redação

Uma imagem pequena de 15,5 centímetros de altura, e um valor inestimável para a arte sacra. A imagem de Santo Onofre foi entregue a Diocese de Oliveira 25 anos depois de ter sido furtada do museu diocesano.

G1 conversou com o bispo diocesano, Dom Miguel Ângelo Freitas Ribeiro, que recebeu a peça na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em Belo Horizonte, nesta quinta-feira (22).

 

“A peça foi devolvida em São Paulo, em outubro de 2018. Uma pessoa que não se identificou, entregou numa caixinha a imagem e um bilhete falando que ela era da Igreja de Oliveira em Minas Gerais. Quando ficamos sabemos, falamos com a Célia Corsino que é do Iphan e na última quinta-feira, ela nos chamou para buscar a imagem e devolver para a diocese”, explicou o Bispo.

 

Outras 35 peças também foram furtadas do Museu Diocesano e permanecem desaparecidas até hoje. O aparecimento da peça trouxe a esperança de que as outras imagens sacras furtadas, também sejam devolvidas.

“Foi uma devolução espontânea e isso nos traz muita esperança de que outras pessoas que estão com as peças furtadas possam devolvê-las à comunidade. Essas peças não são da Igreja são da população. São um patrimônio da comunidade”, comentou Dom Miguel.

Museu Diocesano

 

Fechado desde 1994 a Diocese de Oliveira tem um projeto para reabrir o espaço no local onde hoje funciona a Cúria Diocesana.

“Estamos organizando uma campanha para tentar arrecadar fundos e ter condições de abrir novamente a sala, o museu, num futuro próximo. Precisamos arrecadar em torno de R$40 mil para terminar o restauro da sala e fazer os devidos processos de segurança. Vamos recorrer a comunidade e empresários, que queiram nos ajudar nesta obra”, explicou o Bispo.

 

Santo Onofre

 

Conforme a Diocese, Santo Onofre viveu no deserto da Tebaida no Alto Egito, em fins do século IV da era cristã. Não há muitos relatos sobre ele a vida dele. Entretanto, acredita-se que Onofre viveu sozinho no deserto, e usava apenas folhas para proteger as partes íntimas.

De acordo ainda com a Diocese, Onofre se tornou bastante representado na arte medieval, sobretudo nas representações de homens selvagens e dos Padres do Deserto. Tanto a Igreja Católica como a Igreja Ortodoxa o celebram no dia 12 de Junho.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários